Homem e natureza em equilíbrio: ideal dos japoneses

O grupo faz uma pausa no trabalho na lavoura em Bastos, interior de São Paulo. Reunidos em volta da mesa, se divertem com o mahjong, um jogo chinês. Até os japoneses, tidos como trabalhadores incansáveis, têm seus momentos de lazer. Os 800 imigrantes que chegaram no porto de Santos a bordo do Kasato Maru, em 1908, e os que vieram depois trouxeram os lindos jardins, o bonsai, o ikeba-na; o banho coletivo no ofurô; o descanso sobre o tatame; sem falar na culinária. Acima de tudo, ensinaram uma lição básica: o homem deve buscar a harmonia com a natureza, em vez de tentar dominá-la.