Era uma vez um decorador

Ele sabia onde queria viver: em Moinhos de Vento, um bairro de Porto Alegre com poesia no nome e muito charme espalhado nas ruas. Encontrou um prediozinho de cinco andares numa área arborizada. “Tem tudo perto, dá pra resolver a vida a pé.” O que encantou Ari, no entanto, foi a arquitetura art deco. Perguntou para o zelador, mas alguém acertou o aluguel antes dele. O moco não desistiu. Aguardou um ano até conseguir o imóvel. Fez uma pequena reforma, que incluiu duas novas portas na circulação, deixou o banheiro tinindo e o espaço pronto para receber o seu “laboratório de decoração”.