As pessoas têm medo de cores fortes

As pessoas têm medo de cores fortes

Quando a produtora de cinema Mônica de Braud decidiu morar no centro de São Paulo, na esquina de duas das mais movimentadas avenidas da cidade, muita gente achou estranho. O primeiro foi seu ex-marido, preocupado com a segurança dos filhos adolescentes. “Acontece que eu tenho necessidade de muito espaço, e aqui existem apartamentos maravilhosos com aluguéis razoáveis”, explica Mônica. Já nos primeiros meses, ela percebeu que o número de visitas diminuiu bastante. Só uma meia dúzia de amigos fiéis freqüentam a nova casa. Ela se deu conta, então, de que gosta desse novo momento, mais isolada e intimista. Para valorizar o pé-direito alto, a primeira coisa que fez foi pintar a sala com um laranja-intenso e o seu quarto de verde-escuro. Nas paredes de tons forres, espalhou grandes telas coloridas, arregimentadas ao longo dos anos. “O ascendente Aquário reforça, nessa escorpiana, o gosto por cores”, explica Teresa Nabholz.

Sua alteza, a orquídea

Sua alteza, a orquídea

Elas têm fama de delicadas e de difícil cultivo, mas seus defensores garantem que não são necessários tantos cuidados para manter belas as orquídeas. A orquidófila Vera Cruz sugere esta montagem, em que as plantas ficam em vasos, numa parede, e protegidas do sol e do vento. No detalhe, a premiada Denbrodium desinflorum oculatum, espécie que floresce no inverno.

Um estúdio para lá de moderno

Um estúdio para lá de moderno

Eles são jovens, cheios de idéias, adoram comida asiática, navegam no universo da música tecno e da moda e estão inovando na maneira de fazer design no Brasil. A começar pelo conceito: criaram um estúdio só para desenvolver projetos de produtos – iniciativa comum em Milão, Nova York e Londres, porém uma ousadia entre nós. Deram o nome de Uso, mas, de fato, criam móveis e objetos que se propõem a ter várias utilidades. São peças versáteis adaptadas aos espaços integrados da vida contemporânea.

Um certo ar oriental não é mero acaso. Faz parte da maneira como o arquiteto Vlademir Iglesias Filho trabalha, que casou como uma luva com o jeito de criar da estilista Francês Petrucci. Juntos, eles deram a cara da Uso. “Expressamos o comportamento da nossa geração, da nossa tribo”, explica Francês. Mas, em dois anos, os produtos de soluções simples ultrapassaram o gosto da turma e conquistaram lojas tradicionais.

Quase uma cozinha

Quase uma cozinha

Ralar, moer, desfiar, pesar, sovar, bater, homogeneizar e até cozinhar a vapor: essas são as funções que o Thermonix é capaz de realizar. Muito usado em restaurantes e lanchonetes, esse multiprocessador alemão pode produzir milagres em sua cozinha, substituindo vários eletrodomésticos. Veja seção “Endereços”.