Cristais e estampas

Numa de suas andanças pela rua 25 de Março, em São Paulo, a artista plástica Ana Cordeiro se apaixonou pelo tecido de voal sintético estampado. Decidiu transformá-lo numa cortina básica de 1,45 m de largura e 2.50 m de altura, com barras de 25 cm em cada extremidade. Para dar charme, pendurou cristais em fios de náilon presos ao trilho suíço. “Dão um efeito de arco-íris quando bate o sol”, diz.

Luxo à vista

Imponente, o apartamento pedia um modelo elegante e volumoso para os 20 m de janela da área social. O tecido escolhido foi um voai sintético — total de 96 m. Desejo do proprietário: à noite, a cortina deveria sair de cena para exibir as luzes da cidade. Para satisfazer o cliente, a tapeceira Marilei Boldrini escondeu os trilhos na sanca de gesso.

Requinte da moda

Pregas na parte de baixo enriquecem o mexido de seda da Safira, com bandeiras de 12 m de largura e 3 m de altura que correm em trilhos embutidos na sanca de gesso. Na sugestão da arquiteta Brunete para o home theater, essas cortinas emolduram a persiana Ductte, da Luxaflex , ou escurecem o ambiente quando há sessões de filmes.

Cortinas para sala

Para nao “brigar” com o colorido das obras, o recurso foi pintar as paredes de um marfim bem claro e rebaixar o teto de gesso com iluminacáo embutida. Somente essas solucóes já conferiram ao apartamento urna atmosfera suave, com tonalidades claras que também foram utilizadas nos movéis e cortinas para sala.