Espaço tecno cultural americano

Como uma imensa fita ondulada, a estrutura de metal e betão armado se projeta pelos doze andares do prédio num jogo de curvas de grande efeito visual e performance técnica precisa, que serve como ligação para a infra-estrutura operacional – instalações elétricas, ventilação, aquecedores, ar-condiciona-do e afins. Organizado em duas alas -uma das extremidades funciona como ateliê para o trabalho dos artistas enquanto a outra abriga a área de acesso ao público, com galerias, museus e teatros -, o Eyebeam também inova no recheio. Os espaços expositivos receberam tratamento acústico e foram estrategicamente posicionados para aproveitar a luz natural estática. De volta à sacada, o azul vivo rompe o cinza-concreto que predomina nos edifícios vizinhos. Ainda em fase dc construção, o bloco cheio de dobrinhas deve custar algo em torno de US$ 40 milhões. É o preço da evolução.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>