Um ambiente branco

Um ambiente branco

A base de toda a ambientação é o branco: piso de mármore, paredes e até os revestimentos das cadeiras com ultra-suede branco. “O mundo já é tão pesado que a gente precisa de ambientes leves, claros”, explica Esther. Aproveitando ao máximo a luz natural, ela diz que quer passar tranqüilidade para os clientes: “Minha intenção é fazer com que as pessoas entrem aqui e sintam-se num oásis”.

Publicado em Decoração para casas | Marcado com | Comentar

Móveis contemporâneos em novo estúdio

Móveis contemporâneos em novo estúdio

Por isso, o esmero na montagem do novo estúdio é total. E também porque ali Esther reúne peças de grifes internacionais de móveis contemporâneos, luminárias e objetos de decoração, como Fontana Arte, Driade, Scho-penhauer e Arte e Cuoio. Para abrigar peças de empresas tão renomadas, Esther reservou a enorme sala do térreo com vista para um amplo jardim. Esse espaço é bastante versátil: à noite, troca de roupa e muda o tom, recebendo artistas e amigos para eventos e vernissages.

Arte contemporânea decorações do escritório

Arte contemporânea decorações do escritório

O gosto pela arte contemporânea está expresso em todos os recantos do escritório da decoradora Esther Giobbi. O projeto do amigo e arquiteto Augusto Lívio Malzoni veio ao encontro dos anseios da profissional que, pela primeira vez, está assumindo os riscos de bancar e assinar sozinha seus próprios projetos, após anos e anos trabalhando ao lado de Conrado Malzoni.

Paisagismo em comunhão com a arquitetura

Paisagismo em comunhão com a arquitetura

A única exceção fica para a gardênia, que floresce no final da primavera. Os matizes vão do amarelo ao laranja, fora o azul-e-branco do manacá-da-serra. O perfume comum resultou num cítrico bem suave. Laniado reuniu camélias, magnólias, rododendros, rosas, giestas, orquídeas, jasmins e muro recebeu mudas de heras:

Também foram plantados alguns buxus, aquela árvore muito comum nos parques da Europa que a poda transforma em qualquer figura. Mas o maior destaque do jardim fica, sem dúvida, para uma enorme e linda azaléia branca, que recebeu forma arredondada nas pontas. “Essa azaléia é muito especial, estava há 25 anos no meu sítio e foi transplantada com muito carinho e cuidado”, conta Léo. O tipo de vegetação escolhida não é de muito crescimento; por isso, permite fácil manutenção. Os cuidados com o jardim não são exagerados: apenas varredura de folhas secas, podas na época certa, limpeza dos canteiros e adu-bação adequada.

Culto à Natureza

Culto à Natureza

A pós o trabalho de decoração na casa estilo francês, no Jardim Europa, Esther Giobbi indicou o paisagista Léo Laniado para a execução do jardim: “Minha preocupação era basicamente a de não competir com a arquitetura, mas sim valorizá-la, executando um projeto de complementação estética”. O ponto de partida foi a necessidade de respeitar o que ele chama de “sentimento palaciano” da construção: nobre, imponente, com ares de fidalguia. O momento seguinte foi o de criar uma nova forma para revestir o espaço.

“Ao invés de jardim, o tamanho do terreno respaldou a idéia de transformar o local numa espécie de pátio interno”, diz. Para concretizar o projeto, não bastava forrar com grama, plantar árvores ou encher o local com vasos e plantas. “Pela arquitetura, a vegetação exigia paisagem formal. Nada de folhagens grandes, de folhas largas”, explica. A única referência tropical foi respeitada: a enorme jabuticabeira que está dando sinais de produção. Da mesma forma que a casa, as plantas também evocam as belezas do inverno.

Na decoração do apartamento

Na decoração do apartamento

Negrete inscreveu um pouco da sua história, que começou na Argentina. O lambri, usado em profusão, é um resgate de sua infância na casa da avó, em Buenos Aires. ‘Trago boas lembranças. Os ambientes com esse tipo de revestimento davam a sensação de aconchego. E isso eu desejava ter de novo”, conta. Resultado: a parede da cozinha, com visual moderno, foi revestida de réguas estreitas. Nesse espaço, ele também resgatou outro sonho.